domingo, 14 de agosto de 2016

Minha vida de estudante – Parte 1

Quando eu era adolescente, durante o ensino médio, eu cursava um curso técnico na parte da tarde e ia para a escola na parte da manhã. Eu era um dos melhores alunos do colégio, mas isso não queria dizer muita coisa, uma vez que era um colégio público. No curso técnico também fui muito bem, inclusive na formatura também recebi o prêmio de melhor aluno da turma. Minha mãe sempre foi muito presente na escola, sempre ia a reuniões de pais e cobrava boas notas.

Na época, meus pais enfrentavam sérias dificuldades financeiras, pois meu pai ganhava um salário baixo para o que ele fazia na empresa, e eu não trabalhava ainda, e meus pais tinham que sustentar a mim e a minha irmã. Eu tinha pouco dinheiro para comprar roupas, tênis, celular último tipo, estas coisas que adolescentes gostam. Mas não pude reclamar, pois nunca faltou comida em casa. Mas era foda. Eu ia para o colégio com a mochila cheia de coisas (caderno, livro, apostila, etc), roupas limpas, porém muito surradas, e ainda ia de bota de segurança e com a marmita pendurada. Ou seja, parecia um pedreiro ou alguém que estava sempre de mudança.
Claro que eu era alvo de piadas no colégio, mas procurava não ligar muito.

Era quase assim que eu saia de manhã para a escola....


Durante a adolescência eu via as meninas mais bonitas e gostosinhas do colégio ficando e saindo com os caras mais burros, mais valentões, mais bagunceiros, zé droguinha, pichadores, metidos a bandidos, etc.
O tempo passou, eu prestei vestibular para uma universidade privada perto de casa. Era uma destas Uniesquina, ou seja, pouco renome, poucos laboratórios, professores ruins, etc. Mas era a única que meus pais conseguiam pagar, então tinha de me contentar.

Tipo de cara que as meninas gostavam no colégio.....


Durante a faculdade, achei que seria mais fácil conseguir sair com as meninas e conseguir fodas, já que a “oferta” era maior. Ledo engano. Mesmo sendo uniesquina, tinham caras que os pais tinham muita grana, eram filhos de diretor fodido de empresa, então os caras já tinham muita vantagem mesmo no início da faculdade. Era uma concorrência desleal, e percebi que na faculdade as meninas tinham o mesmo comportamento do colégio, ou seja, ficavam com os caras mais bagunceiros, cachaceiros, etc. Chegavam à faculdade de Audi, Tucson, Pajero, e eu de ônibus.

Comecei a trabalhar no final do primeiro ano da faculdade, mas sabe como é, primeiro emprego, inexperiência e salário baixo. Não conseguia comprar roupas de marca, nem ir às baladas e barzinhos que o pessoal da faculdade ia. Ainda por cima, eu só fui comprar um carro (um populixo 0 km, olha a merda) lá no terceiro ano da faculdade. A prestação do carro era o equivalente a metade do meu salário na época, fora gasolina, seguro, manutenção, impostos, etc. Tinham meses que sobravam R$ 100,00. Então claro que não conseguiria nada com as meninas, afinal não conseguia ostentar nada que chamasse a atenção delas.

Na continuação deste post, vou descrever mais situações que eu passei na época da faculdade.

Abraço

Nenhum comentário:

Postar um comentário