sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Fechamento - Janeiro/2018 - R$ 121 415,63 (+ 3,75% ou +R$ 4 393,95)


Olá amigos.

Hoje temos mais um fechamento de mês.



Finanças
O ano de 2018 começou bem, com valorização acima de 3%. Graças a subida da bolsa, a minha pequena exposição na renda variável mostrou um belo crescimento. Também teve aumento nos rendimentos mensais, graças ao valor recebido de FIIs e dividendos.
Também consegui superar a marca de R$ 120 mil.


A carteira teve leve alteração, com aporte em ações.


Educação
Algumas semanas de férias, mas o último semestre começando com tudo. Últimas matérias, e começam os preparativos para o TCC. Vai ser puxado.

Vida profissional
Chefes de férias até o meio do mês, então foi tranquilo. Projeto entrando na reta final, devendo ser concluído nesse semestre.

Saúde
Segui bem na natação até o meio do mês, porém acabei me machucando e ive que ficar parado alguns dias. Mas logo mais estarei de volta.

Livro
Faça Fortuna com Ações
Décio Bazin
2006
CLA Cultural


Décio Bazin foi um jornalista que trabalhou na Gazeta Mercantil, antigo jornal de finanças, e também operou na bolsa de valores de São Paulo (Bovespa, atual B3). Bazin chama os investidores pessoa física de "Figura Olímpica", pois resistir ao mercado de ações, sujeito a especuladores e manipuladores, é uma grande façanha.

Recomendado por Luiz Barsi, um dos maiores investidores individuais da B3, o livro aborda histórias dos pregões na época que o acesso as informações sobre as empresas era escasso e todas as negociações de compra e venda de ações eram manuais, além de comentar estratégias de investimento com estudos de caso.
Apesar de ser um livro lançado em 1992, é bem interessante para quem busca informações sobre como investir em empresas visando dividendos e longo prazo. Além disso, é um dos poucos livros sobre o mercado de ações focado na bolsa brasileiras. A linguagem é bem simples, o que facilita para investidores iniciantes (que é o meu caso) e torna a leitura agradável.

A estratégia de Décio Bazin para escolher ações é composta de 4 princípios:

- Empresas que pagam dividendos equivalente a pelo menos 6% do valor da ação (essa relação é conhecida como Dividend Yield ou Cash Yield)
- Lucros e dividendos crescentes ao longo do tempo
- Baixo endividamento*
- Não estarem envolvidas em notícias negativas (exemplo, processos de investigação como a Operação Lava-Jato)

*: No livro, Bazin não define o que seria um baixo endividamento. Porém, podemos usar alguns múltiplos para avaliar se o endividamento de uma empresa está num patamar aceitável, tais como Dívida líquida/Ebitda menor que 3 ou Dívida Líquida/Patrimônio Líquido menor que 0,5.

Apenas as empresas que passam nesses 4 quesitos são adquiridas, e anualmente os resultados das empresas da carteira são avaliados para verificar se continuam dentro desses princípios.

Conclusão
Mês de janeiro foi tranquilo, com crescimento de patrimônio e avanços no trabalho.

Sucesso,

Abraço.


Nenhum comentário:

Postar um comentário