domingo, 4 de março de 2018

Fechamento - Fevereiro/2018 - R$ 124 533,68(+2,57% ou +R$ 3 118,05)

Olá amigos.
Vamos para o 2º fechamento de mês de 2018.


Finanças
O mês de fevereiro foi fraco, apesar de eu ter conseguido aportar acima do meu objetivo. Aos poucos, estou aumentando a participação de FIIs em minha carteira de ativos, para aumentar o valor de proventos recebidos todos os meses. Mesmo assim, estou feliz pois o resultado final foi crescimento de patrimônio.


Pequena alteração na distribuição entre as classes de ativos:


Educação
Curso entrando na reta final, em que já começamos a preparar as informações para o TCC. Foi bastante puxado, com prova, trabalhos para entregar e atividades em grupo. No geral, foi positivo, apesar de cansativo.

Vida profissional
Pressão aumentou muito esse mês, me deixando em um nível elevado de estresse. Mais uma vez meus 2 chefes brigando por causa de decisões mal planejadas e falta de comunicação. Cada vez menos motivado com as atividades que faço no trabalho.

Saúde
Devido a problemas pessoais e atividades extras na empresa, esse mês fui poucas vezes na natação. Alimentação continuo normal.

Livro
Guia Politicamente Incorreto da Economia Brasileira
Leandro Narloch
2015
Leya


O livro esclarece uma série de temas sobre a economia brasileira, explicando por exemplo como a superinflação dos anos 1980 foi gerada ou porque a desigualdade é difícil de ser erradica. Simplifica assuntos que parecem complexos de forma que aqueles que nunca estudaram economia vão entender. 

O autor desse livro trabalhou muitos anos na revista Superinteressante, então a forma com que ele escreve torna a leitura agradável e fácil. Os capítulos são conectados, ou seja, o final de um capítulo serve de ponte para o início do próximo.

Recomendo a leitura para todos que quiserem entender como a economia do Brasil foi sendo moldada ao longo das últimas décadas.

Conclusão
Mês muito puxado, apesar de mais curto.

Sucesso,

Abraço

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Fechamento - Janeiro/2018 - R$ 121 415,63 (+ 3,75% ou +R$ 4 393,95)


Olá amigos.

Hoje temos mais um fechamento de mês.



Finanças
O ano de 2018 começou bem, com valorização acima de 3%. Graças a subida da bolsa, a minha pequena exposição na renda variável mostrou um belo crescimento. Também teve aumento nos rendimentos mensais, graças ao valor recebido de FIIs e dividendos.
Também consegui superar a marca de R$ 120 mil.


A carteira teve leve alteração, com aporte em ações.


Educação
Algumas semanas de férias, mas o último semestre começando com tudo. Últimas matérias, e começam os preparativos para o TCC. Vai ser puxado.

Vida profissional
Chefes de férias até o meio do mês, então foi tranquilo. Projeto entrando na reta final, devendo ser concluído nesse semestre.

Saúde
Segui bem na natação até o meio do mês, porém acabei me machucando e ive que ficar parado alguns dias. Mas logo mais estarei de volta.

Livro
Faça Fortuna com Ações
Décio Bazin
2006
CLA Cultural


Décio Bazin foi um jornalista que trabalhou na Gazeta Mercantil, antigo jornal de finanças, e também operou na bolsa de valores de São Paulo (Bovespa, atual B3). Bazin chama os investidores pessoa física de "Figura Olímpica", pois resistir ao mercado de ações, sujeito a especuladores e manipuladores, é uma grande façanha.

Recomendado por Luiz Barsi, um dos maiores investidores individuais da B3, o livro aborda histórias dos pregões na época que o acesso as informações sobre as empresas era escasso e todas as negociações de compra e venda de ações eram manuais, além de comentar estratégias de investimento com estudos de caso.
Apesar de ser um livro lançado em 1992, é bem interessante para quem busca informações sobre como investir em empresas visando dividendos e longo prazo. Além disso, é um dos poucos livros sobre o mercado de ações focado na bolsa brasileiras. A linguagem é bem simples, o que facilita para investidores iniciantes (que é o meu caso) e torna a leitura agradável.

A estratégia de Décio Bazin para escolher ações é composta de 4 princípios:

- Empresas que pagam dividendos equivalente a pelo menos 6% do valor da ação (essa relação é conhecida como Dividend Yield ou Cash Yield)
- Lucros e dividendos crescentes ao longo do tempo
- Baixo endividamento*
- Não estarem envolvidas em notícias negativas (exemplo, processos de investigação como a Operação Lava-Jato)

*: No livro, Bazin não define o que seria um baixo endividamento. Porém, podemos usar alguns múltiplos para avaliar se o endividamento de uma empresa está num patamar aceitável, tais como Dívida líquida/Ebitda menor que 3 ou Dívida Líquida/Patrimônio Líquido menor que 0,5.

Apenas as empresas que passam nesses 4 quesitos são adquiridas, e anualmente os resultados das empresas da carteira são avaliados para verificar se continuam dentro desses princípios.

Conclusão
Mês de janeiro foi tranquilo, com crescimento de patrimônio e avanços no trabalho.

Sucesso,

Abraço.


segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Fechamento - Dezembro/2017 - R$ 117 021,68 (+ 2,52% ou +R$ 2 881,21)

Olá amigos!
Vamos para o último fechamento de 2017.
Irei aproveitar para fazer a revisão das metas do ano, e também traçar as metas para 2018.



Finanças
Mês de dezembro foi bom, apesar do aporte menor. Acabei guardando uma grana extra recebida no trabalho para os gastos de início de ano, ao invés de investir ou gastar.
Também foi bom por conta dos proventos recebidos, acima de R$ 100 reais. É uma sensação gratificantes receber um valor, ainda que pequeno, proporcionado pelo dinheiro investido. É realmente o seu dinheiro trabalhando para você.



Ocorreu um rebalanceamento da carteira, com redução de valor em poupança e aumento de valor de ações. A minha intenção é continuar aportando em ações e, talvez, também em FII.


Educação
Última prova do ano, consegui ir muito bem, e entrei em período de férias da pós até final de janeiro.

Vida profissional
Mês muito estressante até a metade do mês, com pedidos dos chefes "para ontem". Mas consegui administrar essa situação.
Conversando com um conhecido do trabalho sobre investimento em bolsa, e realmente fica claro como falta educação financeira. O cara tentava ganhar dinheiro com day-trade, além de colocar dinheiro em bitcoin, mas somente perde dinheiro, e insistia nessa "tática".

Saúde
Sigo na natação, e já notei uma melhora considerável no fôlego e no físico dos braços e pernas. Dieta com alguns deslizes, nas nada grave. Mesmo em período de festas, consegui manter a alimentação controlada.

Leitura
Nesse mês, sigo com a recomendação de leitura

Crash
Alexandre Versignassi
2011
Editora Leya


O livro foi escrito por Alexandre Versignassi, diretor de redação da revista Superinteressante, conta a história das crises econômicas desde a grécia antinga. A leitura é muito agradável e leve, mas tem muito conteúdo.
O texto ajuda a entender como os países e civilizações entram e saem de crises, e que estas são tão antigas quanto a invenção do dinheiro. Também explica os principais momentos de crises mundiais, como: a febre da Companhia das Índias Orientais (que estimulou, entre outras coisas, a viagem dos portugueses ao Brasil em 1500), a febre das tulipas no século XVII, a crises das ferrovias inglesas, a crise de 1929, a bolha da internet e também a crise de 2008.
Um ótimo texto, que vale a leitura, mesmo para leigos em finanças mas que se interessam por história.

Metas de 2017
Vou agora analisar as metas de 2017

- Fácil: Manter R$ 2K de aporte mensal
Meta atingida
Apesar de ter ficado abaixo de R$ 2 mil de aporte em alguns meses, compensei em outros e, no total do ano, fiquei bem acima da expectativa. Além disso, na média simples, fiquei acima de R$ 2 mil também.

- Média: Atingir 85Kg
Meta atingida
Cheguei e me mantive no peso, apesar de algumas oscilações ao longo do ano.

- Difícil: Alcançar R$ 100K
Meta atingida
Alcancei e ultrapassei a meta, 2 meses antes do previsto. Agora, me aproximo dos R$ 120 mil, com os R$ 150 mil no horizonte

- Quase impossível: Mudar de emprego e/ou conseguir promoção
Meta não atingida
Continuo no mesmo emprego, com mesmo cargo. Como falei há algum tempo, cada vez fico menos motivado para buscar o cargo de gerente na empresa. Politicagens, funcionários incompetentes e pressões absurdas não fazem meu estilo. 

Metas para 2018
Vou manter a regra de 2017 e separar em "níveis"

- Fácil: Terminar a pós, sem reprovar em nenhuma matéria
- Média: Manter R$ 2,5K de aporte mensal
- Difícil: Alcançar R$ 150K de patrimônio em 2018
- Quase impossível: Correr uma prova de corrida de rua (qualquer distância)

Conclusão
Mesmo com estresse elevado no trabalho, e obstáculos na vida financeira, eu consegui evoluir bem esse ano. Espero que 2018 seja melhor, e vou fazer o máximo para isso acontecer e alcançar as metas que eu tracei.

Para todos, desejo um excelente 2018, com muita saúde, energia e felicidade, próximo daqueles que vocês amam.

Sucesso,

Abraço

P.S.: Para fechar o ano, um clássico de Johnny Cash - Get Rhythm


<iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="344" src="https://www.youtube.com/embed/XX7qpR4Mr-I" width="459"></iframe>

sábado, 2 de dezembro de 2017

Fechamento - Novembro/2017 - R$ 114 140,47 (+1,80% ou +R$ 2 018,42)


Olá amigos!
Este é mais um fechamento de mês.

O post desse mês vai ser mais longo do que os demais.

Eu olhando para o meu crescimento de patrimônio de novembro.....

Finanças
Mês complicado para meus aportes. Não consegui atingir os R$ 2 mil de aporte. Ainda assim, tive um crescimento de patrimônio.
Comecei a investidor no mercado de renda variável, com foco em "Value Investing" (investir em valor), comprando bons ativos, que pagam bons dividendos, pensando em longo prazo (acima de 10 anos).
Estou com valores pequenos ainda, então com compras constantes vou aumentar aos poucos a exposição em renda variável.
Para o próximo mês, aporte deve aumentar, pois tem 13º e possível grana extra na empresa.
Também adicionei uma coluna para "Proventos" (renda passiva), onde vou apontar os valores recebidos com dividendos, juros sobre capital próprio (JCP) e renda de FIIs.



Como falei no último mês, passarei a colocar também a minha carteira. Por enquanto vou me limitar ao percentual de cada tipo de ativo, sem entrar em detalhes de cada papel.



Para quem está começando em renda variável, lembre-se de pesquisar bastante sobre o ativo no qual pretende colocar o seu suado dinheiro. Não compre com base apenas em indicação ou boato de alguém, procure entender os fundamentos daquele ativo, os principais indicadores e os riscos do negócio.

Educação
Sem muitas novidades. Continuo firme na pós, já quase em clima de férias, e agora em dezembro faço a última prova.
Voltei a praticar um pouco de inglês e espanhol, mas nada muito relevante.

Vida profissional
Novembro foi puxado, com treinamento e viagem no fim do mês. Projeto quase na reta final, com muitos pontos pendentes. Feedback com um dos meus chefes, mesma conversa de novo.
Motivação para o trabalho com forte oscilação, alternando entre altos e baixos (mais baixos que altos).

Saúde
Continuo na natação, apesar de ter pulado alguns dias por causa do trabalho. Alimentação também estável. Estacionei nos 86Kg.

Leitura
Nova seção nos posts mensais. Neste espaço, vou comentar sobre livros que estou lendo ou terminei de ler no mês, fazendo uma pequena resenha.
Já começo com o pé na porta, comentando os dois livros que li em novembro.

- Livro 1:
Bilhões e lágrimas - A economia brasileira e seus atores
Consuelo Dieguez
2014

Companhia das Letras



Escrito pela jornalista Consuelo Dieguez, que trabalhou na revista Piauí, fez uma coletânea de textos publicados na revista, de 2006 a 2013, que incluem entrevistas e histórias sobre o mundo de finanças e negócios.
A primeira parte do livro traz entrevistas com o Luis Stuhlberger, Daniel Dantas, Luciano Coutinho (ex-presidente do BNDES), Luiz Cezar Fernandes (fundador e ex-sócio do banco Pactual), Alexandre Tombini (ex-presidente do Banco Central), Sérgio Rosa (ex-presidente do Previ), entre outros, e conta as histórias por trás da fusão da Sadia com a Perdigão.
A segunda parte do livro trás uma coletânea de textos sobre a Petrobras, em especial a descoberta do pré-sal  e os estragos causados nas empresas de açúcar e álcool quando o governo congelou o preço da gasolina para controlar a inflação.
Os textos são acessíveis e bem detalhados, tornando a leitura fluída. Tanto que, apesar de ser um livro de mais de 300 páginas, acabei lendo em uma semana.

- Livro 2:
Os axiomas de Zurique
Max Gunther
1989
Várias


Esse é um livro bem conhecido no mundo de finanças, até por isso me interessei na leitura.
O autor é um norte-americano, descendente de suíços, que descreve alguns axiomas (regras práticas) que guiam os investimentos (ou especulações, como o autor do livro prefere) dos banqueiros suíços há décadas.
É dividido em 12 axiomas maiores e 16 menores, e o autor explica cada um deles com exemplos práticos. Explica ainda como utilizar cada axioma para melhorar os investimentos.
Por ser algo mais voltado a estratégias de investimento, para mim que sou iniciante nos investimentos, alguns conceitos parecem de difícil aplicação no cotidiano (exemplo: Resistir à tentação das diversificações parece ser contra o senso prático de "não colocar todos os ovos na mesma cesta").
Mas ainda assim foi uma boa leitura, pois o estilo do autor não deixa o texto ficar cansativo.

Conclusão
Mês corrido no trabalho, com pequena evolução no patrimônio, mas que permitiu boas leituras e crescimento pessoal.

Sucesso,

Abraço

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Fechamento - Outubro/2017 - R$ 112 122,05 (+14,29% ou +R$ 14 016,09)


Olá amigos!
Vamos para mais um fechamento de mês.
Se preparem pois hoje é post especial!


João Dinheiro saboreando o gosto de atingir (e ultrapassar) os R$100K de patrimônio

Finanças
O que falar do mês de outubro? Simplesmente fenomenal, onde alguns recordes pessoais foram quebrados:

- Maior aporte realizado no mês (mais de R$ 13 000)
- Maior crescimento de patrimônio no mês (mais de 14% de variação)
- Maior valor de patrimônio (marca de R$100K superada com folga)

Dizem que os primeiros R$100K são os mais difíceis de alcançar, e concordo completamente. Foram 4 anos, desde que comecei a guardar dinheiro, e 2 anos desde que comecei a investir, até alcançar essa marca. Privações, conflitos internos, leitura e longas horas de reflexão para me manter motivado nessa corrida.



Parece que foi ontem que comecei a me interessar sobre investimentos.
Depois de ler o "Pai Rico, Pai Pobre", fui para outros livros básicos (que já comentei nesse post).
Quando comecei a procurar blogs sobre finanças, os primeiros com que me deparei foram "Além da Poupança" e "Viver de Construção". Depois, acabei caindo no extinto blog "Pobretão de Vida Ruim" que, apesar de não concordar com muitos posts, abriu meus olhos para o conceito de independência financeira, e difícil luta até conquistá-la, e também sobre o foco nos aportes.

Desde que comecei a investir, em 2015, aportava tudo na Poupança e, depois, em Tesouro Direto. Durante alguns meses de 2016, operei na bolsa, mas acabei saindo.
Continuei 100% em renda fixa até setembro desse ano, quando comecei a investir em ações, com foco em dividendos (buy and hold) e renda passiva (renda de aluguéis com FII).

Nesses últimos dias de outubro, as ações que comprei acabaram tendo um desvalorização considerável, assim como os FII. Mesmo assim, sigo a dica do "Viver de Construção" e não olhar para cotação, apenas para fundamentos.

Engraçado que muitas pessoas de meu círculo social não sabem como falar de investimentos. O único que conheço, tenta lucrar com day trade, mas só tem levado tombos.

Educação
A pós nesse mês foi bem sossegada, pois saíram as notas das provas que fiz (todas com nota acima de 9) e matérias que já conheço.
Sala cada vez mais vazia, e alunos com menos interesse.

Vida Profissional
Se outubro foi um mês muito bom na parte de finanças, na parte profissional foi massacrante. Puxadas de orelhas constantes dos chefes por causa de um projeto que estou gerenciando.
Inclusive meus dois chefes brigaram por causa de algumas datas e atividades do projeto, pois um queria mostrar mais poder que o outro. A discussão teve que ser escalonada para um diretor resolver, para vocês verem o nível.


Meus chefes brigando pelo telefone por causa do projeto

Acabei não viajando esse mês, o que acabou compensando um pouco o desgaste psicológico.
Outro ponto: Cada vez mais me questiono se realmente quero virar gerente na empresa. Fazendo um balanço dos gerentes atuais, todos com problemas familiares e/ou problemas de saúde, não sei se compensa o aumento de salário.
Enfim, vamos seguindo.

Saúde
Consegui manter uma boa disciplina na academia, e faltei pouco. Agora a dieta, está difícil de manter. Por causa do estresse no trabalho, acabei consumindo mais doces do que deveria.
Não me pesei, mas acredito que tenha ganhado alguns quilos.

Conclusão
Mês de outubro foi espetacular no lado financeiro, e nem tanto no lado profissional.
Gostaria de agradecer todos que acompanham esse humilde blog, e deixo um abraço especial aos que utilizam de tempo para comentar as postagens. Faço esse blog como uma terapia para mim, e é gratificante saber que existem pessoas que acompanham esse trabalho.

Agora é continuar focando nos aportes, e mirar a marca de R$200K.

No fechamento de novembro, vou colocar algumas novidades: a renda passiva recebida, os ativos de renda variável que fazem parte da carteira "João Dinheiro" e qual livro estou lendo no mês.

Sucesso,

Abraço